Novembro Azul: Câncer de próstata diagnosticado no início pode ter 90% de chance de cura

Compartilhe:

Entre setembro de 2017 e setembro de 2018 foram feitos 8.838 atendimentos para 2.237 pacientes com câncer de próstata do Hospital do Câncer

Dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer da Próstata. Por esse motivo, o mês de novembro é também conhecido como “Novembro Azul”, destinado à conscientização mundial sobre esse tipo de câncer.

A doença é a segunda maior causa de morte por câncer no Brasil, ficando atrás apenas do de pulmão. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimam que os números de diagnóstico desse tipo de câncer devem superar os 68 mil este ano, 7 mil casos a mais do que no ano passado. De acordo com o setor de estatística da UFU, em Uberlândia, entre setembro de 2017 e setembro de 2018 foram feitos 8.838 atendimentos para 2.237 pacientes com câncer de próstata.

De acordo com o urologista do Hospital do Câncer, Eduardo Zanin, os sintomas não são relevantes em estágio inicial. “A doença em estágio inicial normalmente não causa sintomas, mas em casos avançados, a pessoa pode apresentar dificuldade urinária, dolorimento na bexiga ou na uretra, dores ósseas principalmente lombares, impotência, sangramentos na urina ou esperma e até perda do controle miccional com incontinência. Por isso, a importância da realização de exames periódicos. Quanto mais consciência os homens tiverem da doença e de como diagnosticá-la e preveni-la, maiores são as chances de cura”, comenta.

Prevenção e diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce é possível por meio de dois exames simples: o antígeno prostático específico (PSA), que permite rastrear e definir a sequência ideal de tratamento nos pacientes com essa neoplasia, e o exame de toque, que fornece informações fundamentais para o estadiamento da doença. “Ainda há muito preconceito com esse exame, mas felizmente vem diminuindo com a conscientização da população masculina. Cerca de dois terços dos homens brasileiros não se submetem ao toque retal de rastreamento. Os dois exames juntos, toque e PSA, conseguem diagnosticar cerca de 80% dos casos de neoplasia de próstata”, explica o urologista.

Além dos exames, bons hábitos de vida são fatores determinantes na prevenção de doenças, inclusive do câncer de próstata. Pessoas de raça negra, com antecedentes familiares principalmente de primeiro grau (pai, irmão ou tio) ou obesos estão mais propensas a desenvolver a doença.

Eduardo Zanin explica que uma das formas de prevenir é evitar o excesso de carne vermelha e gordura animal e optar por uma alimentação saudável. Além disso, não fumar, não ingerir bebida alcoólica e a prática de atividades físicas é indispensável para prevenção não apenas do câncer, mas de outras várias doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *