29 de agosto, Dia Nacional do Combate ao Fumo

Compartilhe:

Por muitos anos, o cigarro tradicional foi o principal agente que conduziu as pessoas ao tabagismo. Entretanto, nos últimos tempos o narguilé e o cigarro eletrônico têm ganhado vários adeptos por serem considerados erroneamente como menos nocivos a saúde. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o INCA (Instituto Nacional do Câncer), fumar narguilé em média de 20 a 80 minutos, equivale à fumaça de 100 cigarros.

Mas porque a ideia de que eles são menos nocivos? O Dr. Rogério Araújo, cancerologista e coordenador médico do Núcleo de Projetos, Prevenção e Pesquisa contra o Câncer (NUPPPEC) do Hospital do Câncer em Uberlândia, explica que “por utilizar um filtro de água antes da fumaça ser aspirada pelo fumante, o narguilé é visto como menos prejudicial à saúde, mas a inalação da fumaça da queima de material orgânico, no caso, do tabaco é prejudicial. O narguilé possui alta concentração de nicotina e monóxido de carbono, além de mais de 40 substâncias tóxicas”.

Muitas vezes, tabagistas que sempre tiveram o costume de fumar o cigarro tradicional migram seu hábitos para o cigarro eletrônico na convicção de serem menos prejudiciais, mesmo que este argumento não possua nenhuma comprovação científica. O fato é que a nicotina vicia e tabagismo pode ser muito prejudicial à saúde do usuário.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil, 428 pessoas morrem por dia por causa da dependência à nicotina. Das mortes anuais causadas pelo uso do tabaco: 34.999 mortes correspondem a doenças cardíacas; 31.120 mortes por DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica); 26.651 por outros cânceres; 23.762 por câncer de pulmão; 17.972 mortes por tabagismo passivo; 10.900 por pneumonia; 10.812 por AVC (acidente vascular cerebral).

E foi pensando em compartilhar informações sobre o tabagismo, que o NUPPPEC incluiu na campanha #CuidarÉViver uma produção audiovisual que explica os efeitos do fumo no indivíduo que o pratica. Veja:

Este é o segundo vídeo da campanha #CuidarÉViver, que busca levar conhecimento por meio de vídeos sobre o câncer e sua prevenção. Para ter acesso ao material anterior e se programar para os próximos, se inscreva no nosso canal do YouTube clicando aqui.

Faça a melhor escolha da sua vida e não fume. Cuide-se!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *